quarta-feira, outubro 26, 2005

JSD participa em Conferência sobre Jovens Decisores – Direitos e Saúde Sexual e Reprodutiva & Objectivos de Desenvolvimento do Milénio


Nos passados dias 18 e 19 de Outubro a Juventude Social Democrata participou na Conferência Internacional sobre Jovens Decisores – Direitos e Saúde Sexual e Reprodutiva & Objectivos de Desenvolvimento do Milénio.
O evento teve lugar nas instalações da Assembleia da República sendo que no primeiro dia a representação da JSD ficou a cargo de Daniel Fangueiro – Presidente da CPN, Ana Zita Gomes - Presidente da Mesa do Congresso e João Maurício - Secretário Geral adjunto.
O dia de trabalho foi preenchido com exposições por especialistas, associações e parlamentares, dividindo-se em 5 painéis. Cada painel tinha um conjunto de oradores presidido por deputados da Assembleia da República, abordando-se temas como: “Preparar o caminho – Jovens, Direitos e Saúde Sexual em Portugal e no Mundo em que estamos?”, “O Porquê dos temas da Saúde Sexual e Reprodutiva de Jovens? – uma questão de direitos humanos e desenvolvimento sustentável”, “VIH/SIDA – Boas práticas e o que tem de ser feito”, “Educação Sexual – Direito á informação, á Educação, aos Serviços e á Saúde Sexual e Reprodutiva”, e “Para onde vamos depois de hoje”.
No final das intervenções foi elaborado um documento que se intitulou Declaração de Lisboa, incidindo sobre questões relacionadas com a Juventude & Saúde, Direitos Sexuais e Reprodutivos & ODM, resumindo um conjunto de compromissos a assumir, de forma consensual, por todos os que o assinaram.
O segundo dia ficou preenchido com a realização de um Workshop no qual a JSD foi representada pelo Director do Gabinete de Estudos, Ricardo Baptista Leite. O seu principal objectivo e que foi cumprido com sucesso, foi encontrar, por troca de ideias entre os vários parceiros nacionais e internacionais presentes, mecanismos de acção que possam assegurar a concretização das medidas defendidas na Declaração de Lisboa.
Por via de mais esta intervenção, a Juventude Social Democrata prossegue o caminho delineado em Congresso defendendo que a Educação Sexual passe a ser uma “Educação para a Saúde e Cidadania”, com espaço curricular próprio e obrigatório em todo o sistema educativo, desde a pré-primária até ao 12º ano de escolaridade.
É importante que este espaço curricular dê referências aos Jovens sobre os riscos a que estão expostos e como viver em sociedade de forma saudável. Questões como a sexualidade, a gravidez na adolescência e as doenças sexualmente transmissíveis são de abordagem obrigatória, mas devem também estimular-se os jovens de hoje, adultos de amanhã, a terem uma postura pró-activa enquanto cidadãos e a tornarem-se conscientes de que vivem em sociedade e que a convivência positiva entre cidadãos é condição indispensável para o progresso e evolução saudáveis.
Esta proposta implica também uma abordagem curricular, sempre adaptada aos diversos escalões etários, de conteúdos como as toxicodependências e hábitos toxicofilicos e etanólicos, obesidade infantil, promoção do desporto, prevenção rodoviária, educação ambiental, tolerância e consciência sociais e formação cívica.
Só assim poderemos vir a criar as oportunidades para que quando os jovens atinjam a maioridade, sejam cidadãos plenamente conscientes daquele que é e será o seu papel no Portugal e na Europa de Futuro.

Sem comentários: