segunda-feira, janeiro 17, 2005

Os jovens e a política...

Sondagem Universidade Católica para o PÚBLICO e RTPJovens interessam-se por política e são menos pessimistas que os mais velhos

Os jovens gostam de se manter informados sobre os temas políticos e não têm uma visão tão pessimista sobre o assunto quanto os mais velhos. Parece ser esse o sentido dos resultados da sondagem realizada pela Universidade Católica para o PÚBLICO e RTP, que se vai discutir hoje no programa "Prós e Contras".

Os números do inquérito realizado no passado dia 14 de Janeiro levantam a questão sobre a posição dos eleitores dos escalões etários mais baixos relativamente à política. O desinteresse é geralmente apontado

como um factor determinante para os níveis de abstenção tão elevada nessas idades. No entanto, à pergunta "De um modo geral qual é o seu grau de interesse pela política?", a percentagem dos que responderam "muito" ou "razoavelmente" entre os inquiridos entre os 18 e os 34 anos ficou nos 55 por cento.

Entre o escalão dos 45-35 anos essa percentagem ficou nos 50,4 por cento. Os valores dos mais novos ficam portanto acima da média geral dos questionados que se cifrou numa divisão pela metade. 50 por cento respondeu ser "muito" ou "razoavelmente" interessado pela política, e os outros 50 por cento retorquiram estarem "pouco" ou "nada" interessados.

A discrepância vai até à forma como os mais novos encaram os políticos. Parecem ter uma visão menos crítica ou desiludida. Tal parece ser o que transparece das reacções a uma frase como "Os políticos só estão interessados nos votos das pessoas e não nas opiniões delas". Enquanto que nas escalas etárias representativas dos inquiridos com idades entre os 35 e 54 anos, a média dos que "concordam" ou "concordam plenamente" chega aos 78 por cento, entre o escalão 18 aos 24 anos essa percentagem fica nos 60, 9 por cento. A percentagem dos que afirmam "concordar" ou "concordar plenamente", entre todos os inquiridos, é de 76 por cento.

Os mais novos também não parecem mostrar-se tão desiludidos quanto ao resultado das eleições. No escalão dos 18 aos 24 anos apenas 37,5 por cento concordou com a frase "Sejam quais forem os resultados das eleições, isso acaba por não fazer grande diferença no curso dos acontecimentos". Dos inquiridos com idades entre os 25 e os 34 anos, 57,5 por cento concordou. O que contrasta com a percentagem de 78,9 por cento no escalão dos 45 aos 54 anos.

O quadro geral, contudo, mostra um significativo afastamento do eleitorado em geral relativamente aos agentes políticos. Parece ser essa a indicação das respostas à pergunta "Já alguma vez contactou directamente com um deputado do seu círculo eleitoral". Dos questionados, 84 por cento respondeu não, sendo que a grande maioria dos que teve contacto (10 por centos 16 que responderam sim a esta pergunta), já o teve há mais de três.
in Publico

Sem comentários: